UNO Dezembro 2013

Apresentação

A Grande Recessão pôs em questão o modelo europeu do Estado de bem-estar nascido depois da Segunda Guerra Mundial. Especialmente no referente ao acesso universal e gratuito a serviços básicos como educação, saúde e sistema de previdência –uma vez feita, certamente, as correspondentes contribuições ao financiamento dos mesmos através do sistema tributário–.

Enquanto isso, os países da América Latina, no meio de sua década virtuosa de crescimento econômico, têm diante de si um cenário no qual o crescimento das classes médias, a redução da pobreza e o desenvolvimento de políticas para impulsionar os serviços sociais na região os aproximam, embora com distância, ainda, desse “Estado do bem-estar” que hoje se vê ameaçado em grande parte da Europa.

01_1

Hoje em dia, assistimos ao debate sobre o futuro dos serviços sociais, que afetam os serviços básicos considerados como direitos universais –educação, saúde e previdência–.

Por outro lado, vivemos uma situação de incerteza que se prolongará nos próximos anos. Em primeiro lugar, a mudança no modelo do Estado de bem-estar está criando novos esquemas de serviços para os “novos” cidadãos.

De fato, atualmente somos testemunhas dos processos de privatização de alguns Estados, assim como de uma tendência rumo à gestão privada da saúde pública, e uma mudança no modelo de negócio farmacêutico.

A educação é outro dos assuntos prioritários para a opinião pública. Este número da UNO reflete se realmente existe uma falta de pedagogia sobre a educação pública e privada.

Além disso, o turismo de saúde é um negócio crescente e que está originando várias oportunidades. Por último, o envelhecimento da população também dá lugar a novos desafios e implicações para os Governos, que devem buscar soluções para a gestão e distribuição dos recursos nacionais.

Assistimos ao debate sobre o futuro das prestações sociais, que afetam aos serviços básicos considerados como direitos universais

Este número da UNO analisa, portanto, a mudança de paradigma que afeta o modelo educativo e de saúde, e que se desenvolve em dois planos paralelos: o europeu e o latino-americano.

Espero que gostem.

José Antonio Llorente
Sócio Fundador e Presidente da LLORENTE & CUENCA
Como especialista em comunicação corporativa e financeira, ao longo dos seus mais de 25 anos de experiência assessorou numerosas operações corporativas – fusões, aquisições, desinvestimentos, joint ventures e colocação em bolsa –. É o primeiro profissional espanhol que recebe o prêmio SABRE Award de Honra pela realização Individual dos objetivos extraordinários - SABRE Award por Outstanding Individual Achievement - um prêmio a nível europeu, concedido pela The Holmes Report. Durante dez anos trabalhou para a firma multinacional Burson-Marsteller, onde foi Conselheiro Delegado. Atualmente é membro do Patronato da Fundação Euroamérica e da Junta Diretiva da Associação Espanhola de Acionistas Minoritários de Empresas Cotizadas. Pertence também ao Conselho Assessor de PME da Confederação Espanhola das Pequenas e Médias Empresas, à Junta Diretiva da Associação de Agências de Espanha, e ao Conselho Assessor do Executive MBA em Direção de Organizações de Serviços Profissionais organizado por Garrigues. José Antonio é Licenciado em Ciências da Informação, ramo de Jornalismo, pela Universidade Complutense de Madrid, e especialista em Public Affairs pela Indiana University da Pensilvânia e pelo Henley College de Oxford. @jallorente [EUA / Espanha]

Queremos colaborar com você

Qual o seu desafio?

Quer fazer parte da nossa equipe?

Quer que a LLYC participe do seu próximo evento?